MENU

08/02/2022 às 21h20min - Atualizada em 08/02/2022 às 21h20min

Monark é afastado do podcast Flow após defender partido nazista

TAYGUARA RIBEIRO
https://www.msn.com/pt-br/noticias
Reprodução

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O podcaster Monark foi afastado do canal Flow após falas em que defendeu o direito de existência de um partido nazista.

Os Estúdios Flow também divulgaram nota pedindo desculpas, em "especial a comunidade judaica" e informando que o episódio seria tirado do ar.

O caso repercutiu negativamente e o Flow Podcast perdeu diversos patrocinadores e tem sido alvo de muitas críticas.

A Flash Benefícios divulgou nota na qual anuncia o encerramento formal da relação contratual com o canal após os comentários "inadmissíveis dos quais discordamos".

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) também rompeu o contrato de transmissão dos jogos de seu campeonato estadual com os Estúdios Flow, responsáveis pelo Flow Podcast.

As transmissões da edição deste ano da competição eram realizadas pelo Flow Sport Club, braço esportivo dos Estúdios Flow.

"A Ferj, defensora da igualdade, do respeito e contrária a qualquer tipo de preconceito, anuncia o rompimento do contrato com o Estúdios Flow, responsável pelo podcast Flow Sport Club, que transmitia jogos do Campeonato Carioca de 2022, por apologia ao nazismo, regime cujos crimes contra a humanidade até os dias de hoje causam horror a qualquer um que preze pela vida", escreveu a entidade em nota publicada nesta terça-feira (8).

A Insider Store foi outra empresa a repudiar as falas de Monark sobre partidos nazistas e anunciar "total desligamento como patrocinadores do Flow Podcast".

O comentário do apresentador foi feito na segunda (7), em entrevista com os deputados federais Kim Kataguiri (Podemos) e Tabata Amaral (PSB).

"A esquerda radical tem muito mais espaço que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço, na minha opinião ", disse Monark. "Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei."

Tabata Amaral rebateu o podcaster. A rejeição ao comentário de Monark, porém, não se limitou apenas à fala da deputada no programa.

Outras marcas como Bis Lacta, Puma, Ragazzo repudiaram os comentários do apresentador do podcast e afirmaram que, embora tenham feito patrocínios pontuais ao canal, não possuem mais relações comerciais.

Nesta terça-feira (8), Monark gravou um vídeo no qual pediu desculpas pelas declarações e disse que estava bêbado.

"Eu errei, a verdade é essa. Eu estava muito bêbado. Eu fui defender uma ideia, que é uma ideia que acontece em outros lugares do mundo, nos EUA, por exemplo. Mas eu fui defender essa ideia de um jeito muito burro. Eu estava bêbado", afirma.

Ainda no vídeo, ele diz que falou "de uma forma muito insensível com a comunidade judaica. Eu peço perdão pela minha insensibilidade".

O podcaster pediu ainda um pouco de compreensão com o que aconteceu. "São quatro horas de conversa. Eu tava bêbedo, fui insensível sim e errei na forma como me expressei. Dá a entender que eu estou defendendo coisas abomináveis, é uma merda. Errei pra caralho ".

No fim do vídeo ele voltou a pedir desculpas para a comunidade judaica e convidou representantes para participarem do programa e "me explicarem mais sobre toda a história".

O apresentador Benjamin Back, do SBT, comentou em suas redes sociais que gostaria de ter o episódio no qual participou do Flow Sport Club retirado do ar. Back, que é judeu, teve o pedido atendido.

Comentarista da ESPN e especialista em esportes americanos, Antony Curti participaria do podcast na sexta-feira (11), mas também cancelou sua entrevista.

Junior Coimbra, filho de Zico, informou que seu pai cancelou a ida ao Flow Sport Club. O ídolo flamenguista tinha uma participação no podcast marcada para esta terça.

O jornalista do UOL Mauro César também afirmou que não aceitaria os convites do canal para uma entrevista após o ocorrido.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »