MENU

04/02/2022 às 17h18min - Atualizada em 04/02/2022 às 17h18min

O deus Mamon e o Parlamento de Maceió

Zombaria - Parte III

Por: Redação
deolhoalagoas.com.br
Por: Reprodução

Em mais uma manobra descabida e inoportuna, ao estilo “toco y me voy”, famoso bordão futebolístico usado pelo narrador, Galvão Bueno, para se referir a uma jogada preparada por tabela, o parlamento mirim de Maceió, presidido pelo “nobre e notável” Galba Netto, derrubou o veto do prefeito JHC (PSB), que impedia o aumento do duodécimo da casa de R$ 77 milhões para R$ 84 milhões. Deste modo, o orçamento da casa volta a ser de R$ 84 milhões, aprovado no apagar das luzes pelos Edis em dezembro / 21.

Enquanto mais de 6 mil alagoanos perderam suas vidas vítimas da covid-19 e, o município de Maceió e seus munícipes necessitam de ações e  investimentos em áreas cruciais, tais como: saúde, educação, emprego e renda, visando minimizar as perdas causadas  pelas restrições e medidas de isolamento social no combate ao Covid-19, que, inclusive,  quebraram vários empresários, levando centenas de milhares de pessoas a perderem seus empregos, o deus (Mamon), senhor  Novais, com a cara de pau – peculiar aos que zombam -, busca saciar a sua ambição em meio às milhares de sepulturas de honrados alagoanos. Uma zombaria!

Atentos aos acontecimentos dos sanguessugas no legislativo de Maceió, algumas entidades já se mobilizam para ingressarem com representações junto aos órgãos competentes visando frear essa verdadeira falta de respeito e sangria ao erário público.

Dentre essas entidades, o sempre atuante Movimento Caras Pintadas, ainda na noite de ontem, ingressou com uma representação junto ao MPE – Ministério Público Estadual, abordando o tema.

Sentimento de revolta. É assim que nos sentimos diante de tamanha insensibilidade e pobreza legislativa. Não podemos fazer vistas grossas aos acontecimentos e acharmos que tudo está dentro da normalidade, a sociedade precisa exigir, cobrar de seus representantes, uma postura condizente com o cargo. Chega!

 "O povo de Maceió merece respeito, este momento é para investir na melhoria da qualidade de vida dos enlutados pela pandemia, não iremos bancar o luxo de sanguessugas que só querem se dar bem com o dinheiro do povo de Maceió", cravou, Raudrin de Lima, Coordenador Nacional do Movimento Caras Pintadas.

Ao Mamon Novais e seus pares,  abutres de defuntos e lágrimas de órfãos e viúvas, que Deus - O verdadeiro -, em sua infinita Justiça possa lhes mostrar que "cuidar de pessoas é a grande missão da política", e não querer se utilizar dela para saciar seus desejos e ganâncias via sangria do que não lhes pertencem, em detrimento  ao que se espera de legisladores comprometidos com a população, sendo instrumentos condutores de esperança e criadores de oportunidades que possam reestabelecer a  economia e seus impactos positivos para a sociedade maceioense.

Mamon é um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade.  A própria palavra é uma transliteração da palavra hebraica "Mamom" (מָמוֹן), que significa literalmente "dinheiro". Como ser, Mamon representa o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também o anticristo, devorador de almas, e um dos sete príncipes do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada a um nobre de aparência deformada, que carrega um grande saco de moedas de ouro, e "suborna" os humanos para obter suas almas. Em outros casos é visto com uma espécie de pássaro negro (semelhante ao abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar às almas humanas que comprara.


Abaixo segue vídeo que nomina os vereadores da Comissão de Constituição e Justiça da CMM que aprovaram o parecer. Vale a pena !

MACEIÓ



Por: Redação


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »