MENU

29/10/2021 às 23h18min - Atualizada em 29/10/2021 às 23h18min

Em contraponto ao governo, Senado discute auxílio social permanente

Da redação e Estadão Conteúdo
https://www.msn.com/pt-br
Arquivo / Agência Brasil A casa deve voltar ao tema que torna a renda básica um direito permanente dos brasileiros Arquivo / Agência Brasil

O Senado está discutindo alternativas para viabilizar o Auxílio Brasil sem mexer no teto de gastos em 2022. Além disso, a casa quer elaborar um programa de renda básica permanente no País. O movimento visa ser um contraponto ao projeto do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Com críticas dos líderes do Senado em relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios, a casa deve voltar ao tema que torna a renda básica um direito permanente dos brasileiros. Alguns senadores querem criar uma PEC exclusiva para o tema.

“O que importa de fato é tornar a renda básica uma política de Estado, que não fique à mercê da vontade do governante, uma política permanente, constitucional. Essa é a única forma de blindá-la de turbulências políticas, garantindo maior segurança da proteção social prestada aos mais necessitados pelo poder público”, disse o líder do MDB, Eduardo Braga (AM), autor da PEC, em discurso no Senado.

O relator da PEC, Antonio Anastasia (PSD-MG), retirou um dispositivo que excluía toda a despesa com a renda básica do teto de gastos. O argumento é separar a discussão sobre uma política constitucional de financiamento para o próximo ano.

Nos bastidores do Senado, parlamentares falam em apresentar alternativas para oferecer uma resposta à demanda social sem carimbar uma proposta desenhada para beneficiar Bolsonaro politicamente.

Além da PEC, o Senado avalia pautar nas próximas semanas um projeto de lei que cria a chamada Lei de Responsabilidade Social, apresentado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). A proposta cria um benefício referencial de R$ 125 mensais per capita e metas de diminuição da pobreza no País.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual melhor candidato?

58.2%
25.4%
16.4%