MENU

26/03/2021 às 20h17min - Atualizada em 26/03/2021 às 20h17min

Marx Beltrão pede e PSD vai convidar presidente da CEF, Pedro Guimarães para se explicar na Câmara sobre bairros com seguro habitacional negado

Caso Braskem:

Redação
https://www.portaldealagoas.com.br/

O deputado federal Marx Beltrão (PSD) anunciou nesta sexta-feira (26) que por meio da bancada de seu partido, o PSD, vai convidar o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) Pedro Guimarães para prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre a lista que “vazou” com 1.375 CEPs (Código de Endereçamento Postal) de ruas e avenidas de Maceió, em 15 bairros, que estão com crédito imobiliário suspenso pelo banco.

O motivo da suspensão da possibilidade de financiamento seria a proximidade destas novas áreas com o Pinheiro, o Bebedouro, o Mutange e o Bom Parto, localidades que vivem a tragédia do afundamento do solo e a desocupação forçada de milhares de residências por seus moradores.

O temor da população dos 15 bairros é de que o fenômeno do afundamento do solo possa acometer também outras áreas da cidade, em bairros como o Farol, a Levada, o Canaã, a Chã da Jaqueira e o Jardim Petrópolis, por exemplo. O convite proposto por Marx Beltrão será feito por membros da Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara, integrantes do PSD.

“Se a Caixa sabe de algo, que diga logo, mas o sofrimento de Maceió não pode aumentar. Maceió não pode afundar inteira. Vamos cobrar as informações com respeito e transparência. E se for preciso, vamos lutar para que a Braskem sofra as conseqüências pelo mal sem tamanho que causou em nossa cidade” disse Marx Beltrão.

“Agora, a gente é surpreendido com esta lista, que aumenta em muito o número de prejudicados pela atuação desta empresa covarde. E tem mais, agora com o vazamento desta lista a gente começa a ficar ainda mais preocupado porque se mais 15 bairros estão tendo crédito habitacional negado pela Caixa, é porque talvez possa haver comprometimento em outras regiões da cidade. Literalmente, a Braskem pode ter nos colocado num buraco sem fundo, e se foi este o caso providências mais duras precisam ser tomadas” reforçou o parlamentar federal alagoano.

Nesta sexta-feira a Defensoria Pública da União (DPU), em conjunto com a Defensoria Pública do Estado de Alagoas (DPE/AL), o Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), enviou ofício à superintendência da Caixa Econômica Federal (CEF) em Alagoas, estabelecendo prazo de 5 dias para que a instituição preste esclarecimentos quanto à situação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »