MENU

21/08/2021 às 20h33min - Atualizada em 21/08/2021 às 20h33min

GOVERNO DE AL E ONU-HABITAT PROMOVEM CAPACITAÇÃO PARA PREVENÇÃO CRIMINAL EM AMBIENTES URBANOS

Iniciativa direcionada para agentes, técnicos e gestores públicos ocorre entre 23 e 27 de agosto; metodologia investiga relação entre criminalidade e espaços comunitários

Secom Alagoas
https://alagoas.al.gov.br/
Márcio Ferreira

A atuação do Governo de Alagoas na segurança pública se fortalece em nova parceria com o ONU-Habitat, o programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos. Entre os dias 23 e 27 de agosto, o Curso Básico de Prevenção do Crime por meio do Desenho Ambiental (CPTED) será oferecido a agentes, técnicos(as) e gestores(as) de órgãos públicos responsáveis por planejar e acompanhar iniciativas de intervenções urbanas. 

A mobilização conjunta integra o Programa de Capacitação sobre Prevenção ao Crime e à Violência. O objetivo principal consiste em conscientizar – e articular – setores do poder público sobre a influência dos ambientes urbanos na incidência da criminalidade. 

“A forma com o ambiente urbano é configurado influencia a sensação de segurança das pessoas e a ocorrência ou não de crime, em tornar os espaços mais – ou menos – propícios à ocorrência de crimes, principalmente os espaços públicos”, explica Alex Marques Rosa, coordenador de Programas do ONU-Habitat. 

O evento será realizado na Escola de Governo de Alagoas, em Maceió. O público-alvo consiste em representantes das Secretarias de Estado da Segurança Pública (SSP), Prevenção da Violência (Seprev), Mulher e Direitos Humanos (Semudh), Infraestrutura (Seinfra) e Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand), além de servidores das prefeituras de Maceió, Palmeira dos Índios e Arapiraca. “É um trabalho de integração de diversas secretarias porque o problema da violência é um problema múltiplo”, aponta Alex Marques Rosa. 

Para ele, integrar secretarias e órgãos para um olhar mais sensível e um diálogo mais convergente sobre a influência do desenho urbano no cenário da criminalidade ajuda a desenvolver a chamada “visão sistêmica de prevenção da violência”.  

“À medida que as secretarias, municípios, órgãos e entidades comecem a entender que cada um tem um papel relevante na configuração do espaço urbano para que as pessoas – em especial as mais vulneráveis – se sintam mais seguras na cidade”, esclarece o representante do ONU-Habitat.

Metodologia CPTED

O curso será ministrado pelo major Isângelo Senna da Costa, da Polícia Militar do Distrito Federal, cujo currículo acumula graduação em Direito pela Universidade Católica de Brasília e mestrado em Psicologia Social do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília (UnB), além de experiência profissional como Oficial de Planejamento Operacional, Multiplicador de Polícia Comunitária e Policial das Nações Unidas, entre outras.

O palestrante discorre sobre a metodologia de Prevenção do Crime por meio do Desenho Ambiental (em inglês Crime Prevention Through Environmental Design - CPTED). Isso significa entender que os aspectos da paisagem natural e construída (parques, praças, ruas, muros) figuram como dispositivos obrigatórios para a compreensão da dinâmica criminal. 

“É uma metodologia que visa tornar espaços públicos em espaços que atraem comportamentos seguros e inibem comportamentos criminosos. Isso também vale para os espaços privados”, exemplifica Isângelo Senna.  

Em sua visão, a CPTED permite que a linguagem os atores relevantes para a segurança pública conversem de modo mais fluído. Uma ideia que congrega engajamento, ocupação e manutenção dos ambientes físicos compartilhados. “Ou seja, comunidade, polícia, agências públicas e privadas passam a falar uma mesma linguagem. Isso permite melhores diagnósticos e intervenções que tornam os espaços urbanos e rurais e em espaços mais seguros e inibidores do crime”, acredita o conferencista.  

A programação do curso inclui aulas teóricas sobre temas relacionados à prevenção de crimes, como psicologia social para a prevenção criminal; criminologia ambiental; comportamento humano e design ambiental, além de atividades práticas e visitas a localidades com altos índices de crime e violência em Maceió, como os bairros do Centro, Jacintinho e Benedito Bentes.

Agenda 2030

Nas ações do presente, o Governo de Alagoas mira um futuro melhor para o estado. Por meio de uma série de programas e projetos, a parceria com o ONU-Habitat vem, desde 2017, coletando dados e informações para auxiliar a gestão pública na implementação de ações de desenvolvimento sustentável em longo prazo. 

Visão Alagoas 2030 - Estratégia Urbana Inclusiva e Sustentável é o nome da proposta que busca alinhar os planos de governo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU e aos princípios da Nova Agenda Urbana do desenvolvimento urbano e social. Ambas diretrizes norteiam a constituição de cidades mais justas, seguras e inclusivas. Seguimos no caminho certo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »