MENU

23/07/2021 às 20h35min - Atualizada em 23/07/2021 às 20h35min

Com dados do RS represados, Brasil tem 108 mil novos casos da Covid-19 em 24h

País soma 548.340 de mortes e 19.632.433 de infectados pela doença

Anna Gabriela Costa
https://www.cnnbrasil.com.br/
Foto: Bruno Kelly/Reuters (31.dez.2020)

O país registrou nesta sexta-feira (23) o total de 108.732 novos casos de Covid-19, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O salto no número de contaminações diárias se deu após o Rio Grande do Sul divulgar aproximadamente 63 mil casos que estavam represados. 

Com a atualização, o Brasil tem o registro de 19.632.433 de infectados pela Covid-19. Em número de mortes, foram 1.324 registradas nas últimas 24 horas, totalizando 548.340 óbitos causados pelo novo coronavírus.

A última vez que o país teve mais de 100 mil casos de diários de contaminações foi em 23 de junho deste ano, com 115.248 infecções registradas.

"O painel da Covid-19 da Secretaria da Saúde (SES) trouxe em sua atualização desta sexta-feira (23) a inclusão de 63 mil casos que estavam represados. Nenhum desses era óbito. Somados aos demais casos que já seriam publicados hoje, foram contabilizados nesta data 64.056 novos casos da doença. Com isso, o Rio Grande do Sul chega a 1.343.586 casos confirmados, sendo 32.972 óbitos entre eles", informou o governo do Rio Grande do Sul.

Sete estados brasileiros já ultrapassaram a marca de 1 milhão de casos de Covid-19: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Santa Catarina e mais recentemente o Rio de Janeiro, este com 1.008.623 contaminações.

O Brasil é o segundo país no mundo com mais mortes pelo novo coronavírus. Segundo a Universidade Johns Hopkins, os EUA ocupam o primeiro lugar, com 610 mil óbitos. Já em número de casos, o Brasil fica atrás apenas dos EUA e da Índia. 

Variante Delta provoca mais sintomas gripais e menos perda de olfato

O Brasil já registra 12 mortes pela variante Delta da Covid-19. Segundo o médico, virologista e professor titular da UFRJ, Amilcar Tanuri as pessoas devem ficar atentas aos sintomas da nova cepa, que diferem um pouco daqueles causados pela variante original da Covid-19.

“No Rio de Janeiro, os sintomas de quem teve a variante Delta foram gripais. A questão da perda de olfato não é tão relevante nesses casos, a Delta provoca mais tosse e coriza. É preciso estar atento a estes sintomas”, disse o médico, que recomenda fazer o teste diante quando surgirem os primeiros sintomas.

Disputa entre variantes Delta e P.1 vai definir os rumos da pandemia

Responsável por uma explosão de casos de Covid-19 este ano que levou o Brasil ao epicentro global da pandemia, a variante P.1 pode representar alguma forma de barreira no país ao avanço da variante Delta, considerada ainda mais contagiosa, segundo especialistas, que alertaram sobre a necessidade de medidas para evitar o que tem ocorrido em outros países.

No momento em que o Brasil tem registrado um arrefecimento da pandemia, com quatro semanas seguidas de queda no número de mortes pelo novo coronavírus - ainda que com mais de 1.100 óbitos por dia em média -, um eventual avanço da Delta poderia jogar por terra a melhora do quadro, principalmente porque a nova variante demanda duas doses das vacinas para ser combatida, acrescentaram.

"A peleja viral entra Delta e Gama será fator decisivo das futuras semanas da pandemia no Brasil", disse à Reuters o médico e neurocientista Miguel Nicolelis, que estuda o avanço da pandemia no Brasil e no mundo. "O Brasil está em um equilíbrio instável, e se a Delta prevalecer sobre a P.1 nós vamos ter outra explosão."


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »