MENU

28/02/2021 às 19h05min - Atualizada em 28/02/2021 às 19h05min

Mirante da Sereia: Paraíso clama por socorro.

Sem estrutura mínima para recepcionar visitantes e admiradores do local, belezas são esquecidas

- Fonte: Por: Jornalista Marcos Souza
Por: Jornalista Marcos Souza
Fonte: Marcos Souza
Localizada a 16km do centro de Maceió - Litoral Norte - à praia do Mirante da Sereia possui inúmeras características para ter sido ao longo dos anos, um dos locais mais aconchegantes e qualificados para recepcionar não só a demanda turística, mas, principalmente, seus frequentadores mais assíduos e admiradores das belezas e particularidades que o local proporciona, mesmo com tamanho descaso e abandono. No entanto,diante da precariedade, da falta de ordenamento urbanistico ( disciplinamento e fiscalização), e da falta de estrutura em barracas e quiosques que possa atender minimamente aos que se dirijem.. em busca do descanso e dos prazeres dessa linda praia.  A cada visita, cada passagem pela comunidade, a cada relato, como o de seu Ernesto dos Santos,  morador da comunidade, a mais de 15 anos, que disse "  é um completo desinteresse daqueles que deveriam, em tese, cuidar, organizar e proporcinar às pessoas dessa comunidade, condições para se capacitarem de forma a aproveitarem essas características para desenvolverem suas habilidades em áreas essências para o sustento das familias e o atendimento ao segmento turistico da região, alavancando a economia local". Habilidades essas, que abrange desde à culinária, com comidas típicas, aos pescadores, taxistas, aplicativos, etc... Enfim, uma comunidade que possui como características principais, acesso fácil, paisagem deslumbrante, piscinas naturais provocadas pela maré baixa, uma gostosa área para crianças se banharem com segurança e, o mais importante de tudo, " um povo acolhedor ", não pode e não deve ser ignorada pelos senhores gestores públicos, 


Mirante da Sereia sobrevive em meio ao descaso!
Help!

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Qual melhor candidato?

58.2%
25.4%
16.4%